jusbrasil.com.br
31 de Outubro de 2020

Escolha entre traficante em estado grave e policial levemente ferido é falso dilema, mas de resposta fácil

Justificando
Publicado por Justificando
há 4 anos

Escolha entre traficante em estado grave e policial levemente ferido falso dilema mas de resposta fcil

“Quem salvar primeiro? Traficante em estado grave ou policial levemente ferido?”

Essa foi a pergunta que inundou a timeline do meu Facebook. E para a minha surpresa, a maioria optaria pelo policial e deixaria “o traficando se fu…. Pra lá”. Para a minha surpresa, porque a maioria da galera que inunda a minha timeline é composta por cristãos.

Por incrível que pareça, esse dilema é muito fácil de resolver. Eu nem diria, na verdade, que é um dilema.

Simples, em duas questões:

Primeiro: salvaria quem estivesse gravemente ferido: fazer o bem sem olhar a quem. Ou como dizia Jesus: Porque se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos igualmente assim? (Mateus 5:46).

Segundo: qual a lógica de escolher o policial e deixar o traficante morrendo? Como saber se o traficante é realmente traficante ou se o policial não é mais um envolvido na milícia e que lucra com o tráfico de drogas? - Policiais do BOPE vazavam operações e vendiam armas para traficantes.

E eu vi pessoas da área da saúde, médicos, enfermeiros e tal, dizendo que salvaria o policial levemente ferido. Um absurdo! Existe, claramente, um dever legal desses profissionais da saúde de defenderem a saúde de qualquer um, sem preconceito ou ideologia.

Existe, aliás, um parâmetro para definir quem ajudar primeiro: Emergência > Urgência. Um policial levemente ferido ou um traficante gravemente ferido? A emergência é atender o traficante. Dizemos isso porque somos comunistas e odiamos policiais? Claro que não! Parem com isso! É porque uma pessoa gravemente ferida é caso de emergência em comparação a alguém levemente ferido.

Como eu disse, é simples demais. Deveríamos optar pelo policial gravemente ferido e não pelo traficante levemente ferido. Ou pelo desconhecido gravemente ferido e não pelo conhecido levemente ferido. É questão de bom senso e inteligência.

Então a resposta correta ao dilema é:

O mais sensato é escolher o mais ferido. O mais inteligente é, na hora de ajudar alguém, não fazer acepção de pessoa. O triste é que, num país que se diz cristão, a gente precise ainda ensinar o óbvio! O que vocês andam aprendendo na igreja?

A escolha não era salvar o traficante e deixar o policial morrer, mas atender primeiro o mais grave e, depois, o outro.

Essa coisa de que você deveria optar pelo menos ferido, porque é policial, e deixar o mais ferido, porque é traficante, é parte da ideologia de uma galera que quer jogar mais lenha na fogueira em um país onde policiais e traficantes são vítimas do mesmo inimigo: o Estado Moderno, esse comitê instituído para gerenciar os interesses da burguesia.

Wagner Francesco é Teólogo com pesquisa em áreas de Direito Penal e Processual Penal.

248 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Qualquer profissional em sã consciência optaria pelo óbvio, o indivíduo gravemente ferido independente de quem seja, agora, coloca-se um policial gravemente ferido e do outro lado um traficante igualmente gravemente ferido, por óbvio, escolher-se-à ao combatente do bem, qual seja, o PM. Matéria desnecessária da rede Globo com o único intuito de separar a população em classes e deixá-las se matarem enquanto angariam pontos de audiências. Outro absurdo que ando vendo são policiais e civis nas redes sociais crucificando a apresentadora Fátima Bernardes, mais até do que o "traficante" ou os convidados que escolheram ao traficante, pensamento retrógrado de um povo cego. continuar lendo

A escolha será feita pelo médico e aliás, existem pessoas na fila de espera nesse momento ..Abraços continuar lendo

Roberto, perfeito o seu comentário. continuar lendo

Entre a culpabilidade certa e a provável, iria me preocupar primeiro em resguardar a vida daquele que, teoricamente, esta me protegendo, daquele outro que pode vir a arruinar a vida de meus descendentes. continuar lendo

"[...] agora, coloca-se um policial gravemente ferido e do outro lado um traficante igualmente gravemente ferido, por óbvio, escolher-se-à ao combatente do bem, qual seja, o PM. [...]"
Visto que nenhuma vida tem valor maior que a outra, por mais que alguns digam o contrário, o lógico a se fazer é atender os dois ao mesmo tempo.
Claro, estou aqui imaginando que nossos hospitais tenham estrutura e pessoal para receber estas duas vítimas de uma só vez. Mas voltando ao mundo real, cabe aos agentes públicos entrar em contato com os hospitais mais próximos e assim, se não houver espaço para os dois, encaminhar cada um para um hospital.
Por óbvio, quem deve ser socorrido primeiro, caso seja possível serem atendidos no mesmo hospital é aquele em detrimento deste por ter sua vida em risco. continuar lendo

Amigo, o policial não está gravemente ferido, somente o traficante. O policial está LEVEMENTE ferido. continuar lendo

Amigo, foi-se o tempo em que se poderia selecionar pessoas honestas e honradas para servir as polícias.
Os candidatos já estão um pouco contaminados com as drogas que já passou da hora de serem liberadas.
Quase todos usam, principalmente filhinhos de papai, pena que só os pobres são punidos e sobrelotam as celas presidiárias.
E o principal, você acha que alguém inteligente iria arriscar sua vida como policial, ganhando o salário miserável que é pago pelos governos de São Paulo e Rio de Janeiro?
É melhor investir na carreira política e roubar a vontade. continuar lendo

Combatente do Bem? menos bem menos amigo... agora te pergunto e se esse tal combatente do Bem que você se refere estivesse envolvido com o tráfico, e com a máfia ?? algo bem comum em todas as polícias do país?Veja o Japonês da Federal que o povo tratou de transformar em Herói, virou até música de carnaval, e o resultado disso??? o tal japonês estava envolvido em crimes na fronteira (CONTRABANDO) onde ele recebia pra facilitar a entrada de coisas ilícitas no país. Viu amigo como não se deve fazer juízo de valor,sem antes conhecer a pessoa. Quem deu a você ao qualquer profissional da saúde o direito de decidir quem vive ou quem morre? se for bandido que seja punido pelos seus crimes, nessa hipótese que você apresentou se fosse eu tentaria salvar os dois e se não fosse possível paciência , mas agora deixar uma pessoa agonizando na minha frente só por que ele é isso ou aquilo sinceramente não sei se o faria... continuar lendo

Caro Roberto, Ratinho desmascara a Globo. Leia!
Não é a simplicidade ou a obviedade de um "enigma" desses o verdadeiro motivo a ser criticado. Qualquer imbecil sabe que, seja do ponto de vista legal, moral, ético, etc. etc. , a pessoa em estado mais grave deve ter a preferência.
O grande problema desse questionamento foi a intenção dos responsáveis pela Globo (não a Fátima, ela é mera peça no tabuleiro da emissora), qual seja, desqualificar ainda mais a Polícia de Segurança Brasileira.
Eu explico o que afirmei acima:
Não sei se você tem conhecimento, mas no início dos anos 2000, o Ratinho foi para o SBT e exibiu em seu programa a situação de um policial militar que estava tetraplégico, sem apoio, sem remédios, confinado numa cama. Dias antes, a Rede Globo levou ao ar, em horário nobre, o reencontro de uma mãe que estava num país nórdico e o filho, preso em uma das penitenciárias brasileiras. A situação foi romanceada e a emissora afirmava que eles não se viam a muito tempo, mostrando entrevista com a mãe e depois com o filho. Ocorre que o reencontro ficou marcado para ser exibido em uma data posterior.
Nesse meio tempo, o Ratinho descobriu que o tal filho preso, cuja situação foi romanceada, tinha sido o autor dos disparos que deixou tetraplégico o policial militar acima comentado e resolveu lançar um desabafo, mostrando a verdadeira personalidade daquele criminoso e a maneira como o defensor da sociedade foi tratado, tanto pelo Estado como pelos demais segmentos sociais: esquecido, sem qualquer ajuda. Mas quis mostrar, principalmente, a tendenciosidade da Globo (como já dizia Brizola)
Esse, meu caro, é o verdadeiro motivo pelo qual a Globo tem que ser criticada. Ela coloca-se numa posição de ataque às instituições de Segurança Pública, notavelmente na mais visível: a Polícia. Aí, leva ao ar, em horários de grandes picos de audiência, "historinhas" politicamente corretas. Ela faz um jogo empurrando a sociedade contra a Polícia.
Ah, você acha que a Globo teve coragem de exibir a continuação da reportagem?
Nem falou mais no caso. Por que? Porque foi desmascarada.
Pesquise, vale à pena!
Abraço continuar lendo

Prefiro pensar que policiais são melhores do que traficantes, não entrando no mérito de honestidade mas sim do que tem que ser.
Ninguém pensa nas milhares de vidas que foram tiradas pelo traficante, com certeza ele fornecia drogas e armas para jovens e estragou a vida de milhares de pessoas, ai ele vai ser ajudado e curado, vai sair do hospital e se for pra cadeia do jeito que ta a justiça ele sai em alguns meses e volta a continuar a traficar, se sair do hospital e for direto para as ruas em pouco tempo a vida volta normal e continua a estragar vidas.
Toda generalização é burra, vocês também não podem achar um absurdo as pessoas que salvariam os policiais, tudo deve ser levado em conta.

Esta é a minha opinião, respeito a sua, de qualquer forma parabéns por fomentar o debate,

abraços continuar lendo

E quem disse que o cara gravemente ferido era traficante? Isso vem escrito na "identidade" do cidadão ali caído? Me parece que não. Se ele estivesse bem vestido, com óculos e roupas "de grife" talvez suscitasse mais dúvidas, fosse até mesmo tido como um famoso qualquer.

Já o policial, fardado, seria meio que óbvio identificar, apesar que hoje em dia é muito fácil ir a uma loja e comprar fardamentos militares, aliás bandidos costumeiramente fazem isso e enganam a muitos em blitz falsas.

Você acredita em tudo que te dizem ou lê na imprensa? Eu não...

Nossos olhos muitas vezes nos enganam, e a obviedade do texto está aí para nos desafiar, sobretudo, a pensar nisso. continuar lendo

Amados, no título do texto está escrito '' TRAFICANTE'' ao invés de ''suposto traficante'', ou seja é certeza que ele é traficante, logo prejudicial a sociedade, gostaria de colocar uma reflexão, será que o policial iria salvar você ou o traficante ?
Coitadinho, vítima da sociedade, tem que fazer entrar drogas nas casas das famílias para se sustentar e se tomar tiro a gente tem que salvar ele, realmente os valores estão invertidos. continuar lendo

Ele já foi julgado? Deixá-lo morrer não é ser tão assassino quanto ele? Qual a sua diferença e a dele se ambos não dão valor à vida? continuar lendo

Matheus, é exatamente isso, penso como você. Se não podemos acreditar que o policial é correto e porque temos que ter certeza que o "traficante" foi injustiçado? Cada uma... Esse país está assim atacam o querem prender o juiz, enquanto alguns (óbvio que tem sua vantagem) acham que o ladrão é que é coitadinho... Ainda bem, que temos homens de valores ainda no nosso país. continuar lendo

Nobre colegas, estou um pouco atrasado para dar minha opinião. Sou cristão, observo os dois maiores mandamentos deixados por Jesus Cristo. "Amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como ti mesmo" . Pois, bem, coaduno com a opinião da maioria, salvaria o policial primeiro que estava cumprindo o seu dever em defesa da sociedade e das pessoas de bem, que são o meus próximos. O traficante do morro carioca e demais outros são desalmado, perverso, criminoso e não tem amor ao próximo, caso tivesse, não estaria vendendo drogas e trocando tiros com a polícia. Ao salvar o traficante, nada impediria que em poucos dias, meses ou ano, fosse liberado e voltasse ao morro e lá no exercício do inter criminis, iria voltar a vender drogas e matar pessoas inocentes. Então, não o salvaria em primeiro lugar, estaria ele abandonado a própria sorte em decorrência do ramo de vida que escolheu. Jesus cristo disse a Jerusalém ao rejeitá-lo, que ela estaria abandonada a própria sorte. No ano 30, a legião romana destruiu Jerusalém. Pergunto, Jesus Cristo interveio para salvar a cidade Santa? Cuidado quando utilizar a palavra cristão, pois até Deus faz justiça. Na vida, a dois caminhos para serem seguidos o do bem e o do mal, façam suas escolhas e recebam suas recompensas boas ou ruins. continuar lendo

O q tem q ser...ora, colega, VC é o q tem q ser??????? O q vc tem q ser???? Belo, recatado e do lar?

Seus filhos são produto do q vc ensinou ou se propôs a educar. Se caem em mãos erradas, a 'responsabilidade' é toda sua... continuar lendo

Eu concordo com você plenamente. Opinar estando de fora é fácil. Qual a origem dos assaltos, arrombamentos, sequestros relâmpago, violência, tortura e morte? Fácil de responder: o tráfico! Esse ser é "lixo humano", mesmo que quisesse não poderia se redimir a seus atos, porque está viciado pelo poder, pelo comando, pela vaidade é um psicopata que mata sem piedade; um risco para a sociedade. O policial deveria ser atendido primeiro "com certeza", direito a vaga naquela equipe de resgate, ser atendido primeiro pela equipe plantonista, acesso prioritário aos equipamentos e insumos naquela instituição. Já estando num leito e ou liberado, daria-se a oportunidade, se é a vontade de Deus que esse "ser" sobreviva. Porém querer aqui analisar estado de saúde e comparar, não cabe a nós e sim a equipe de saúde que é movida pela razão e tomada de decisão, que nem sempre tem a informação dos atos desse ser que está entre a vida e a morte, somada as consequência de uma "negligência". Não esquecendo, ainda, daquele órgão ao qual chamamos de "direitos humanos" do nosso "País" que só aparece nas mídias, quando a violência vitima os fora da Lei. continuar lendo

E você, virou o que pra condenar seu semelhante ? Nada mais do um novo assassino. continuar lendo

já sei, então leva ele pra ser tratado na sua casa. continuar lendo

Atender primeiro um político condenado por corrupcão gravemente ferido ou uma criança pobre levemente ferida?

A propósito, ser cristão não significa ser santo nem besta. continuar lendo

Nesse caso, com toda a certeza: A criancinha, mesmo que estivesse só um arranhão no dedinho. continuar lendo

Acho que Cristo não te ensinou direito... Ou Paulo, que ensinava vencer o mal com o bem. continuar lendo

Alves, então vc atenderia primeiro o político condenado por corrupcão para ser o cristão santo vencendo o mal com o bem??? Jura??? continuar lendo

Não sou cristão. Se eu fosse um profissional da saúde, faria o meu dever, aquilo pelo qual sou pago. É função da JUSTIÇA julgar se ele é corrupto ou não. E não minha e sua. continuar lendo

Alves, levantei uma hipótese na qual especifiquei 'político condenado (pela Justiça, claro!) por corrupcão'.

O trabalho profissional será realizado, mashá apenas um profissional para atender 2 pacientes ao mesmo tempo, vc tem que escolher a quem atender primeiro. Não fuja da pergunta nem finja que não compreendeu o ponto.

Tb não sou cristã! continuar lendo

Muito bem, boa resposta... continuar lendo

Significa ser justo, e ser justo não é julgar. continuar lendo

Ma desculpa, você pode até frequentar alguma denominação de igreja, mas cristã nunca foi, espero que um dia você saiba realmente o que significa esta palavra. Amor, perdão, caridade e nunca vingança e assassinato. continuar lendo

Ser cristão representa, a meu ver, não usar o Santo nome em vão, principalmente para defender o sofrimento de um irmão como forma de vingança. Algo que talvez nem a Besta fosse capaz de fazer. continuar lendo

A criança com certeza. continuar lendo

Ana Maia, então responda a pergunta de acordo com sua fé muito cristã cheia de justiça, caridade, perdão: Atender primeiro um político condenado por corrupcão gravemente ferido ou uma criança pobre levemente ferida?

E já disse antes, NÃO sou cristã. Mais, não sigo nenhuma religião. continuar lendo

Mazzuia, ótimo, mais um cristão para responder a pergunta diretamente: Atender primeiro um político condenado por corrupcão gravemente ferido ou uma criança pobre levemente ferida? continuar lendo

Adoro ver os cristão falarem, falarem, falarem, mas fugirem de responder a pergunta diretamente: Atender primeiro um político condenado por corrupcão gravemente ferido ou uma criança pobre levemente ferida? continuar lendo

"A propósito, ser cristão não significa ser santo nem besta."

Pior que isso, no contexto apresentado religião não tem a menor importância.
A questão é moral, não é religiosa.
E, é bom deixar isso claro: cada um de nós (seja quem for) possui código moral muito melhor do que a moral ensinada na igreja cristã e, especialmente, na bíblia cristã. continuar lendo

Eu sou cristã e atendo a criancinha. Depois procuro um velhinho passando mal. Depois um animal indefeso e paro por aí. continuar lendo

Dóris Cavalcanti, um médico faz juramento de salvar vidas e não desse ou daquele, caso contrário não precisa o juramento e passa a ser: Salvo quem eu quero. Mas no seu caso já deixou claro, não sabe o que é ser cristão, como médico tenho que fazer minha obrigação e não cometer mais um crime em nome da justiça. O que admira são os que dizem cristão, estes são os lobos que causam medo, como cobras sempre escondidos. Vou socorrer o mais necessitado como faço em sala de aula como professora, dou mais atenção ao que mais necessita e não ao filho do honesto trabalhador, ao que mais tem dificuldade, independente quem é o pai ou a mãe. continuar lendo

Eu vi alguns vídeos de pessoas reclamando, indignados com o programa da Fátima, pensando que a pergunta fosse: “Quem salvar primeiro? Traficante ou policial em estado grave?”
O pessoal não perceberam o detalhe da pergunta, que na verdade citava policial levemente ferido e traficante em estado grave.
Na verdade foi um tema desonesto intelectualmente e de mau gosto, como quase tudo daquele programa é de mau gosto. continuar lendo

Provocativo na verdade, se ela queria provocar polêmica colocando seu nome em algo, conseguiu.
O reflexo positivo ou negativo estará nas vendas dos produtos Seara. (kk) continuar lendo